Compilação

A imperfeição é a riqueza do humano
O mundo se perde nas entrelinhas
Ao invés de seguir um caminho
Tenho medo, mas vou indo
Exortei os caminhos desordenados
Apliquei o que quis
E colhi os que mereci
Esperar não é mais opção
Perder nem a pau
Sei que ainda há muito por vir
Temos muito o que viver
É o que espera-se da juventude
Certezas, metas, projeções
Mas buscamos fugir do cotidiano
Parar para contar estrelinhas
Ter tempo de ver o que vem vindo
Sair de momentos estagnados
Nem sei o que fiz
Era tanto mal que adoeci
Vendi meu coração
Me entreguei a meu rival
Não me quisestes ouvir
Eu quis esconder
Culpa do amor e sua completude
Sem adeus, apenas saudações.

Anúncios

Escrito por

Estudante de Jornalismo e brasiliense. Apaixonada por cinema, literatura, música, culinária e beleza. Com família paraense, das raízes indígenas, se criou em Brasília onde pode descobrir mais sobre o mundo e se apaixonou pela profissão que escolheu. Criou o Diário em 2014, quando decidiu manter vivas as poesias que mantinha em cadernos por anos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s