Redenção

Se foi a luz do sol

Surgiu as pegadas mascaradas

Passos curtos e cuidadosos

A luva na mão direita pingava

Sangue gotejava

Havia redenção.

Os olhos eram as portas do crisol

Armaduras estreladas

Golpes e ataques maldosos

Gritos abafados se escutava

Enquanto se afastava

Perdia-se a renovação.

Perguntas que agem como girassol

Cascalham-se as damas disfarçadas

Despedidas e sofrimentos custosos

A vida sossegava

Nada mais alí estava

Amadureceu e eternizou

Liberdade na ressurreição

Do obscuro

E do não dito.

Autor: Aguida Leal

Olá, meu nome é Águida Leal, tenho 27 anos e criei esse blog para compartilhar minha visão romântica da vida. Minhas paixões me guiam a momentos únicos e percebi que as pessoas gostam de ler sobre a vida.

Deixe uma resposta