Apaixonado

Poucos amores Tardias dores Contínuos perdões Aprendendo a sobreviver Sorrisos bobos A fênix está solta Sem querer crer De amores envolto Aos teus braços me entrego E volto a viver. Olhos nos olhos Abraços entregues Sentidos revoltos Me entrego a quem Não ama, mas finge ser Aquilo que preciso E desejo viver.