De amor

Queria manter escondido
o calor dos sentimentos,
mas é simples demais
e não gosto da simplicidade.
Meu coração tão ferido
superou tantos tormentos
e o coração é quem faz
essa história ter continuidade.
O simples vira vício
e se acomoda
eu luto para viver sóbrea
mas me vicio em ti.
Sofrimento deixa resquício
que vira dor.
Se for necessário
abandono o impossível
e te provo que
se pode viver
de amor.

Anúncios

Escrito por

Estudante de Jornalismo e brasiliense. Apaixonada por cinema, literatura, música, culinária e beleza. Com família paraense, das raízes indígenas, se criou em Brasília onde pode descobrir mais sobre o mundo e se apaixonou pela profissão que escolheu. Criou o Diário em 2014, quando decidiu manter vivas as poesias que mantinha em cadernos por anos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s