Família – por: Jornalista Informal

É só na minha família que existem tipos de personalidades extremamente diferentes? Espero que não!
Bom, muitas coisas acontecem ao longo dos anos mas tem gente que faz questão de não esquecer de nada. Isso torna qualquer relação complicada. Só que o fato de serem uma família não parece fazer diferença. Encontrei uma família muito grande e extremamente problemática! Não que as outras sejam muito diferentes, mas essa me fez repensar muita coisa.
Bom, vou começar com as ramificações de uma única família. Veremos se no fim de tudo eles se merecem mesmo.

– Existe a família metida.
A mulher não sabe cozinhar e todo fim de semana leva a família toda para a casa da sogra ou de algum(a) cunhado(a).
O marido troca de celular a cada três meses e gosta de mostrar pra todos os outros.
Os filhos ficam recuados ou muito exibicionistas.
Também pode ser que para não terem a “reputação” tão negativa, eles busquem preencher as falhas com coisas amigáveis, mas é perceptível o motivo pelo qual eles o façam.

– Existe a família desorganizada
A mulher gosta de ser a mais divertida, querida, paparicada, amigável, mas no fim das contas gosta de falar mal de todo mundo pra todo mundo, porém, ninguém percebe que ela o faz.
O homem que trabalha o dia todo, ou apenas parte dele. Pode ser também que trabalhe por escala. Às vezes pode ser que ele goste de brincar muito com todo mundo, mas também é igual à mulher.
Os filhos são tímidos de mais para falar alguma coisa, e aprecem que não ligam muito para algumas coisas. Mesmo que as vezes um ou outro se sobressaia falando algumas verdades, a maior parte do tempo parecem sonsos.

– Existe a família problemática e solitária
Geralmente a mulher tem ou teve alguma doença grave e vive remoendo dores causadas por isso, ou apenas gosta de falar muito sobre os sintomas, mesmo que não perceba. Pode ser que ela tenha muita vontade de trabalhar, e comparada as outras, é a única que faz o que pedirem para agradar e se sentir bem consigo mesma com a sensação de dever cumprido.
O homem geralmente se vira, não tem um trabalho fixo, mas sempre procura alguma coisa pra fazer. Nunca deixa que outros falem nada e se tiver problemas resolve cara a cara. Pode ser que ele more longe da própria família ou tenha sofrido muitas humilhações durante a vida.
Os filhos, ou talvez um só, sejam bem egoístas e egocêntricos, mas com motivos diferentes. Normalmente tem os dois lados dos pais muito forte, então guarda tudo o que vive ou viu os pais viverem e vomita em redes sociais ou cara a cara.

– Existe a família diferente
A mulher não tem nada a ver com a família, é toda diferente, e se acha p centro de tudo. Normalmente consegue mudar o pensar de quem está por perto e fazem o que ela quer.
O homem procura não se misturar, mas tem um carinho muito grande pela família toda. Trabalha tanto que às vezes se pergunta o porquê.
Os filhos são diferentes. Gostam de coisas diferentes, se vestem diferentes e são muito simples. Podendo algum ser bem mimado(a).

– A família esquecida
A mulher se sente rejeitada pela família.
O homem é tão desconhecido para os outros que eles só sabem seu nome.
Os filhos normalmente são aqueles bagunceiros que fazem os outros perderem a paciência. Mas não mexam com eles, porque TODOS se juntam para defendê-los com unhas e dentes.

– O solteiro / A solteira
Pode ser que tenha alguma doença, seja especial ou só tenha ficado solteiro(a) mesmo. É o querido dos sobrinhos, e um dos que as pessoas ao redor mais criticam. Penso que alguns tenham inveja ou repúdio sobre ele. Ou talvez seja apenas aparência.

– Os patriarcas
A mulher (como já deve ser uma senhora) vive cheia de doenças. É o motivo de preocupação da família toda, mas nem todos ligam muito pra isso.
O homem prefere ficar sempre calado. Mas só a mulher sabe o quão chato ele é.

Normalmente todos se reúnem na casa dos patriarcas. Sempre falta o homem solitário, mas as outras pessoas nem se preocupam com ele. Às vezes ninguém faz questão da família metida, mas tentam tratá-los de forma agradável. A família diferente sempre quer comandar as reuniões à sua maneira, o que nem sempre é bom para os outros que não concordam com os gostos e opiniões. A família desorganizada quer sempre parecer carinhosa e afetiva, mas já sabemos que não é assim. A família esquecida nem sempre está presente e quando se faz está sempre desfalcada. O solteiro/a solteira gosta de ser divertido(a) e faz o que pode, quando não prefere estar sozinho(a) no quarto.

Bem, minhas conclusões sobre esta família é: NINGUÉM PERCEBE QUE O PRÓXIMO PRECISA DE ALGUÉM. NINGUÉM QUER AMAR, MAS TODOS QUEREM SER AMADOS. O mundo está completamente perdido e se essa família quiser mesmo continuar a ser uma família, precisam mudar! Defender até a morte a própria opinião ou tentar resolver tudo à sua maneira, nada vai se normalizar. Sempre haverão atritos. As pessoas precisam parar de ligar apenas para o próprio umbigo e a olhar mais pra cima. Família é laço de amor e companheirismo.

Espero que a minha família, citada em parte ali em cima, perceba que está se desfazendo por burrice! Mas digo que ainda há tempo de mudar! Então, façamos algo.

Matéria por: Uma Jornalista Informal

Anúncios

Escrito por

♦ Brasiliense com sangue do Pará, amante de moda, culinária, cinema e música. Sonhava em ser bióloga marinha, mas vem se provando mais jornalista do que achava. Escreve menos do que sua mente produz, mas a memória deixa a desejar. Curiosa e repórter, então saiba que tudo o que disser poderá se tornar texto novo. E se a encontrar, prove seu abraço... dizem ser o melhor do mundo. ♦

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s