Cadê teu riso frouxo?

♦ ♦ ♦ ♦

Me mostraram esse vídeo esses dias e me deu tanta vontade de espalhar que foi quase impossível não o trazer pra vocês com um texto sobre.

A cada dia que passa nos tornamos mais solitários e cômodos em nós mesmos, sem permitir que outras pessoas se aproximem e troquem mais que informações, como as horas, por exemplo. Falo isso por observar a mim mesma.

Todos os dias pego o mesmo ônibus para vir trabalhar, e é quase impossível não ir reconhecendo as pessoas que dividem a viagem comigo. O problema é que já notei a falta de educação, e talvez até mais que isso, de algumas dessas pessoas… o fato de estarmos juntos todas as manhãs deveria fazer nascer um laço mesmo que superficial, mas até na hora de entrar no ônibus há um desconforto, como um certo empurra epurra para garantir quem entra primeiro. Como também há um exilamento estranho quando sentam em seus quase mesmos lugares.

Mas isso é normal de cidade grande? Talvez. Mas não é tão saudável, concorda? Porque não custa nada um pouco de educação. O problema é que estamos cada vez mais acostumados com esse exílio e nos fechamos tanto que é difícil ter a troca de conversas ou criação de laços.

Não há solidão mais triste do que a do homem sem amizades. A falta de amigos faz com que o mundo pareça um deserto.

Francis Bacon

♦ ♦ ♦ ♦

8795fec1169a764a43453e9ac5cd0cb3-young-children-happy-children

Eu sou do tipo de pessoa que defende que todo dia é de mudanças. Por mais que esteja também nesse meio de exilados, também tenho sentido muita vontade de ser diferente, de mudar. E me propus a começar com comportamentos diários, como cumprimentar colegas de trabalho (que são todos superiores a mim, já que sou estagiária) com um abraço, ou um sorriso – é mais fácil pra mim visto que 80% dos meus colegas de trabalho são mulheres. Já venho notando um pouco mais de diferença no meu comportamento inconsciente, tem sido interessante.

Rir de tudo é coisa dos tontos, mas não rir de nada é coisa dos estúpidos.

Erasmo de Roterdã

O sorriso quebra qualquer clima desconfortável, a gargalhada quebra qualquer tensão. Lógico que não é necessário rir de tudo e para todos, mas é possível que esse costume faça seus dias se tornarem mais tranquilos, até mesmo aqueles dias mais estressantes. É como se rir fosse uma válvula de escape! Lógico que no dia a dia fica estranho rir sem parar, eu sugiro que você faça isso ao acordar, ou em algum momento que der para encaixar um relaxamento ou até mesmo meditação, caso você seja adepto.

♦ ♦ ♦ ♦

♦ ♦ ♦ ♦

É, Frejat, a gente realmente precisa descobrir que rir é bom… e que rir de tudo é desespero. Que seja de coração a vontade de que todos tenham alguém a quem amar… e que possamos perceber que a felicidade não está em uma pessoa, e sim dentro de nós. É algo acessível, sincero e verdadeiro. E todas as vezes em que algo terrível estiver acontecendo, que o amor seja a sua opção de recomeço, sua forma de olhar o mundo e a vida… que seja a sua porta de entrada e também a de saída.

que o riso seja natural
seja imortal
seja alimento, mente
carne e peito
que a alegria seja
crucial, carnal
consentimento, gente
que seja comportamento
seja respeito
que teu riso seja doce
forte gargalho
que tu me sejas riso eterno
gentil, fino
fogueira, amor.

Águida Leal

8d4adf535a764a28ae88a0cc66791fe9

Tentando mudar um pouco minha forma de encarar a vida, meu jeito de conviver o menos exilada possível e tentando chegar às pessoas com mais gratidão que susto, decidi fazer uma lista de coisas a fazer. Minha vontade é que todo mês tenha uma semana assim, que mude um pouquinho minha rotina, que me quebre o orgulho e timidez e me ajude nessa vontade de ser uma pessoa melhor. Fica aí a ideia, ou convite. Se quiser tentar olhar pro mundo diferente, um pouco mais alegre, faça uma lista dessas também. É incrível como as pequenas coisas mudam nossa essência para melhor!

blogggg

Se fizer isso, me conta?

♦ ♦ ♦ ♦

Anúncios

Escrito por

♦ Brasiliense com sangue do Pará, amante de moda, culinária, cinema e música. Sonhava em ser bióloga marinha, mas vem se provando mais jornalista do que achava. Escreve menos do que sua mente produz, mas a memória deixa a desejar. Curiosa e repórter, então saiba que tudo o que disser poderá se tornar texto novo. E se a encontrar, prove seu abraço... dizem ser o melhor do mundo. ♦

Um comentário em “Cadê teu riso frouxo?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s