Tem tempo

Tem tempo que me sento aqui e tento escrever algo. Tem tempo que não te vejo. Tem tempo que a gente não existe mais.

Findamos. Tem dias que eu acordo com uma saudade boa, repleta de lembranças. Tem dias que eu prefiro nem acordar, e não é pra continuar sonhando com você. É pra não ter que encarar que tem tempo que eu tento te esquecer e não consigo.

Vez ou outra te encontro guardado em uma gaveta, em um marcador de livro, até mesmo nas fotos arquivadas do meu computador (quando eu quero me desligar de tudo e ficar um pouco só). Não consegui excluir todas as nossas fotos, não foi por falta de vontade. Isso eu tenho – não é de sobra. É que tem tempo que eu não consigo me encontrar.

Você não levou um pedaço de mim, nem meus sonhos, ou que se possa falar “sugou minha felicidade”. Você se foi e eu fiquei. Simples. Mole. Amargo e frio. Se comparado a um café, ninguém gostaria de me tomar no momento. Tenho me tornado avesso aos aplicativos, saída com amigos e até mesmo de ficar na sala. É que tem tempo que eu preciso colocar muito pra fora.

Eu quis 365 dias pra esquecer. Precisei disso, sabe?! Pra ouvir Marília Mendonça até não aguentar mais, ficar ali martelando na mesma música, meio que sem entender como tudo começou e acabou. É que tem tempo que eu não ouço mais nada.

Eu quero ficar bem, eu tento passar isso todos os dias para as pessoas que estão ao meu redor. É que tem alguns amores que são mais fortes que os outros e nunca se sabe até quando eles estarão dentro da gente. Está sendo assim. Forte. Saudoso. Triste e demorado.

Bateu uma brisa na janela e me fez apagar tuas fotos, te tirar das gavetas e me esvaziar de tudo. Eu não quero ter surpresas – nunca gostei. Se bem que, eu gosto quando meus amigos me dão parabéns de uma forma especial. Eles estão me ensinando a ser amor de novo. Próprio. Único. Intenso e verdadeiro.

Tem tempo que quero te dizer que eu já te esqueci. Me esvaziei de você, mas o amor permanece aqui. Não é fraqueza, é amor. E se o que dizem for verdade mesmo; que só se ama uma vez, eu quero voltar no tempo e desaprender a te amar. É que tem tempo que não aguento mais sentir tanta saudade.

Texto: Tiago Brito

Anúncios

Escrito por

♦ Brasiliense com sangue do Pará, amante de moda, culinária, cinema e música. Sonhava em ser bióloga marinha, mas vem se provando mais jornalista do que achava. Escreve menos do que sua mente produz, mas a memória deixa a desejar. Curiosa e repórter, então saiba que tudo o que disser poderá se tornar texto novo. E se a encontrar, prove seu abraço... dizem ser o melhor do mundo. ♦

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s