Omitir

Em alguns dias você não se lembrará da dor, e ao final do dia lhe dirão que você transmitiu paz. Você dará um sorriso e dirá que, sim, está tudo em paz. O coração aperta, mas a mente te lembra: dever cumprido.

Alguns dos dias têm sido dessa forma. De certo modo enganar alguém é, no fim das contas, enganar a si mesmo. Entretanto, se isso for pra te ajudar, considere a possibilidade. Não é mentira é só omissão. Coração x razão.

Como a famosa citação: Supere. Se não puder superar, supere o vício de falar sobre. Viu? Omissão. Os dias vão passando e você vai esquecendo. Até que numa sexta-feira seus olhares tornarão a se cruzar. Rápido e dolorido.

Percebe-se que apesar dos dias longe a palpitação ainda está lá. Aliás, sempre esteve, mas estava sendo superada. Saudade. Saudade é assim mesmo; está lá (num quarto escuro), mas parece que não está. De novo é bom omitir. Sufocar sentimentos nunca foi meu forte. Por isso eu respiro fundo, olho pra cima e penso com um sorriso no rosto: você vai precisar cumprir a missão outra vez. Omita.

Tiago Brito

Anúncios

Escrito por

Estudante de Jornalismo e brasiliense. Apaixonada por cinema, literatura, música, culinária e beleza. Com família paraense, das raízes indígenas, se criou em Brasília onde pode descobrir mais sobre o mundo e se apaixonou pela profissão que escolheu. Criou o Diário em 2014, quando decidiu manter vivas as poesias que mantinha em cadernos por anos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s