ladeira

querendo lhe encontrar em outros
desfiz os nós
me alimentei de afetos piedosos
enquanto, entre beijos, provei recompensas
desci a ladeira da alegria e me deparei na subida da dor
com outro gosto, deixe-me ser amada
não que quisesse, apenas permiti
não que me complete, apenas deixei-o me sentir
sem rumo, meu paradeiro é secreto até a mim
quando buscar novos horizontes
não saberei se é na morte do nosso sentimento
ou se na subida dessa ladeira
que sem fôlego vou vencendo
dia por dia

Anúncios

Escrito por

Estudante de Jornalismo e brasiliense. Apaixonada por cinema, literatura, música, culinária e beleza. Com família paraense, das raízes indígenas, se criou em Brasília onde pode descobrir mais sobre o mundo e se apaixonou pela profissão que escolheu. Criou o Diário em 2014, quando decidiu manter vivas as poesias que mantinha em cadernos por anos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s