Hoje posso dizer: Gosto de mim

Chegou o tão esperado dia em que eu posso afirmar que gosto de quem eu sou. Gosto de ter esse gênio forte, essa decisão certeira de sim ou não quando quero, dessa liberdade em respeitar quando não consigo pensar e me dar o direito de ter preguiça.

Gosto de como sou intensa. De como vivi cada relacionamento a 100km/h. Gosto de como me jogo nas coisas por acreditar, por ter tanta liberdade que não é difícil ser decidida assim. Gosto de como pego mania das pessoas que convivo por muitas horas ao dia sem perceber. Gosto de gostar das coisas que me agradam, que me desafiam, que me convencem de que são boas -elas, as coisas.

Gosto da minha teimosia. É essa teimosia e resistência que me fez repensar tudo! Se estou incomodando, se estou sendo expansiva de mais, se realmente tenho a liberdade de falar o que penso, se as coisas que me são apresentadas são realmente boas, se a pessoa que está dando uma opinião pode estar certa ou se eu mesma é que tenho tanta certeza e sei exatamente o que tô falando. É a minha teimosia que me permitiu me afastar de pessoas que me faziam mal.

Gosto de ser romântica ao extremo. Gosto de como o amor me move a escrever poesias, cartas, músicas, textos, livros, peças. Gosto de como sinto tudo a flor da pele, como me arrepio ao encontrar alguém. Gosto de não me entregar a qualquer pessoa que conheci e me deu uma moral. Gosto de entregar tanto afeto que quem se relaciona comigo passe a se sentir especial.

Gosto de poder fazer o que eu quero, quando e como quero. Gosto de influenciar amigos a coisas que pesquisei e descobri que são boas e legais. Gosto de rir alto, de dançar (mesmo que mal) e de vestir roupas não convencionais, casuais de mais ou até engomadinhas de mais.

Gosto de como reflito sobre tudo. De como me questiono, como internalizo questões que nunca pensei existir. Gosto de como sou desorganizada no meu espaço e metódica em outros, tipo trabalho. Gosto de liderar pessoas, de convencê-las a seguir seus sonhos. Gosto de viver cada segundo como se fosse o último porque já estive perto de perder tudo isso por tantas vezes…

Gosto de quem eu sou. Gosto do meu corpo cheio de cicatrizes, marcas, manchas, olheiras. Gosto de não ser padrão e ao mesmo tempo ser, porque isso me prova que nada nunca é suficiente para os outros. Gosto de me bastar, de me conter e transbordar. Gosto de ter um lugar seguro para falar e de poder dar um pedacinho dele para quem eu gosto também ter um lugar seguro.

Gosto de tudo o que posso ver, tocar e sentir. Gosto.

Porque passei tempo de mais ouvindo que não era certo gostar de mim, que isso poderia soar como arrogância ou prepotência. Me escondi dentro de mim por tanto tempo que me sufoquei. Hoje, não me permito mais sufocar.

Autor: Aguida Leal

Olá, meu nome é Águida Leal, tenho 27 anos e criei esse blog para compartilhar minha visão romântica da vida. Minhas paixões me guiam a momentos únicos e percebi que as pessoas gostam de ler sobre a vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s