Ser uma mulher no Tinder não é tarefa fácil!

Dentro da minha realidade, uma conta em aplicativo de relacionamento é mais difícil que puxar papo em um restaurante

Recentemente resolvi me dar ao “luxo” de criar uma conta no Tinder, com foco em tentar encontrar alguém que me desperte a vontade de ter um relacionamento. Por ser cética quanto ao aplicativo, tem sido uma tarefa árdua. Até o momento, ser uma mulher cis hétero que não ouve sertanejo e que não fuma nada (nem narguilé) tem sido um fardo.

Divulgação/Tinder

Obviamente tem sido uma tarefa árdua: não escuto as músicas mais estouradas, não vejo os filmes e séries mais hypadas e nem faço questão de me encaixar no que a grande maioria das pessoas espera. Talvez seja a síndrome da diferentona: a que jura ser a única a fazer coisas lo-profile. Mas não sou, né.

O maior obstáculo é vencer as fotos de homens sem camisa com corpos sarados, em lugares fora do país ou nitidamente lugares muito caros. Eles esbanjam poses em cima de carros, em varandas de prédios super altos, com drinks como champanhe, whisky e raramente uma cerveja. Todos com as sobrancelhas mais bem feita que as minhas. Ou praticando algum exercício em alguma academia ou quadra.

Só que estamos no meio de uma pandemia! Como manter esse tipo de perfil montado em plena pandemia? Quando ninguém tá são!

Mas não para por aí. Tem os perfis que são cheios de pistas para que as mulheres captem o mistério. Fotos só de um olho, que com certeza DIZ MUITA COISA. Uma tatuagem ou outra. Ou os gordinhos, que parecem ainda ter certa timidez de seus corpos e só mostram o rosto ou foto em grupo – onde é difícil saber quem é a pessoa dona da conta.

Bom, aqui vai um segredo.

Por mais que a tecnologia venha sufocando os relacionamentos por sua liquidez, ainda temos necessidades humanas. Uma foto natural, que mostre seu rosto, seu sorriso e seus olhos (sem óculos escuros!!!!) pode facilitar um “match”. Vejo que alguns caras parecem revoltados com a ferramenta, e faz sentido. A combinação parece que nunca chega. Mas tem coisas além de físico.

O que você busca em alguém para se relacionar? Porque no momento atual do país, o mínimo de posicionamento político, gosto musical e roupas pode dizer muito mais sobre você do que imagina.

Em casos onde a pessoa é muito atuante, como a foto ao lado (ilustração encontrada na internet), pode gerar diversas interpretações. Conhecer o partido ou o político de maior destaque no partido descrito no perfil faz com que você deduza que a pessoa concorda com a referência.

Não me leve a mal, isso pode ser bom, mas também pode ser ruim.

Se você é uma pessoa, assim como eu, que convive com o tema e conversar sobre não é difícil, isso não é problema. Agora, se você não suporta o assunto ou tem raiva do político ou partido presente no perfil, a rejeição acontece com uma certa força.

As boas conversas até acontecem. As pessoas interessantes até aparecem. Mas sair de um aplicativo e ir para algo pessoalmente parece exigir um esforço tão absurdo que mesmo com o telefone, as redes sociais e mensagens trocadas durante alguns dias, ainda é um esforço. E quando a gente coloca em questão a saúde pública do Brasil, isso só dificulta mais ainda. Como sair com alguém que você não sabe se está se cuidando o suficiente?

Mas vocês me perguntam, “e aí, Águida, o Tinder é uma boa ou não?”. Minha resposta é: depende!

Você precisa encontrar alguém que esteja na mesma sintonia que você e para isso é preciso buscar e conversar muito com as pessoas. Porque quando você se alinha em pensamento, algumas ideias de vida, entende a profissão um do outro e sente que os gostos são respeitados, então vale a pena tentar sair.

Se você quer algo casual, com toda certeza é o aplicativo pra você. A maioria dos caras que olhei por lá estão em busca de companhia para festas, para uma noite de sexo, para viajar e para pagar!!!! Sim, pagar!!!! (tentei não julgar, mas sem sucesso).

Está pensando em baixar o app ou teve alguma experiência que quer compartilhar? Deixa um comentário que a gente conversa. Adoro ler vocês.

LEIA MAIS

Autor: Aguida Leal

Olá, meu nome é Águida Leal, tenho 27 anos e criei esse blog para compartilhar minha visão romântica da vida. Minhas paixões me guiam a momentos únicos e percebi que as pessoas gostam de ler sobre a vida.

Nenhum pensamento

  1. Postagem super top Águida, sempre mantendo informado o seu público e que cada pessoa tem sua personalidade e que todos devemos respeitar…

Deixe uma resposta