Merda! Adeus ao humor que nos fazia rir de doer

Dono de um carisma sem igual e bordões que são tão sinceros aos nossos ouvidos que podem ser repetidos em diversas situações. Paulo Gustavo nos deixou, não na saudade, mas na presença de uma obra que, apesar de curta, será sempre lembrada. Leia mais.